(12) 3209-9010 / (12) 3209-9001 contato@flaviasano.com.br

O Poeta

Vou me lançar aos ventos que embalam as folhas das árvores em dia de tempestade
Quero com ele refazer o meu caminho
Quem sabe arrancar alguns espinhos e sangrar até que a dor vire poesia
Na agonia de minha alma a arte bate e abre as portas para encantar algum coração.

Doação

Sou de pouca fala,
Um jeitinho mineiro de ver a vida que só, mas com um espaço gigante dentro de mim.
Vontade de abraçar o mundo,
De curar as dores,
De plantar muitas flores por onde passar.
Anseio de ver abrir um sorriso, de por alguns instantes aliviar a dor daquele que fui me encontrar.
Mesmo que o mundo eu não salve, o meu mundo eu posso salvar.
Mesmo que o mundo eu não salve, algo de melhor no mundo eu posso deixar.
Mesmo que o mundo eu não salve, sei que tenho muito para compartilhar.
No doar de cada dia, no pouco que tenho o meu mundo eu ganho, se o teu riso ganhar.

 

Conta gotas

No conta gota da vida busco a infinidade escondida de traços contornos e cores que me levam aos embalos profundos de minha existência, a minha alma sangra, e em minhas entranhas grito por socorro sufocado pela liberdade sonhada.

 

Solidão

Meu coração busca nas entrelinhas do teu sorriso a resposta

Um sinal verde para avançar em direção ao inesperado

Cansado está o meu sorriso, pois de ti preciso, ansiosa preciso.

Dá-me uma gota sequer de vestígio, um olhar para que eu perceba que vale a pena esperar

Diga-me onde, quando e como devo ficar

Não confundas mais este coração que sofre, sem norte e sem solução

Da-me um sorriso aberto, bem claro eu espero para que eu possa interpretar

E que o amor ainda seja o melhor  motivo da espera e se eu tiver que perder alguma coisa que seja a razão.

 

Inocência perdida

Hoje que já não sou criança trago outra canção

Talvez um tanto metódica, ou um tanto na escuridão

Quando a gente cresce perde o brilho, perde a graça, e se não toma cuidado perde até o coração

Se soubesse que crescer enfeiava continuaria mais perto do chão.